Trabalho infantil recua no mundo, mostra estudo da OIT

Veículo: A notícia foi publicada nos principais jornais do País - BR
Compartilhe

O total de crianças em situação de trabalho infantil em todo o mundo caiu um terço entre 2000 e 2012, de 245,5 milhões para 167,9 milhões, ou 10,6% da população infantil, de acordo com o relatório Medir o progresso na Luta contra o Trabalho Infantil, divulgado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). O órgão aponta, porém, que essa diminuição não é suficiente para que se alcance o objetivo pactuado pela comunidade internacional de eliminar as piores formas de trabalho infantil até 2016. O diretor-geral da OIT, Guy Ryder, disse que, embora na direção correta, os progressos nessa área são lentos. Segundo ele, é preciso intensificar os esforços em todos os níveis para acabar com o trabalho infantil em um futuro próximo. "Existem 168 milhões de boas razões para fazê-lo", afirmou.

Brasil –O País é mencionado no que diz respeito a um aumento na importância relativa do trabalho infantil no setor de serviços. Segundo o relatório, parte desse aumento pode ser devido ao fato de que menos crianças trabalhadoras estão na categoria "não definido" em 2012, apontando para um melhor cálculo das crianças no setor de serviços, em especial os da economia informal. "Esses resultados em nível mundial são semelhantes aos resultados nacionais em países como o México, o Brasil e a Indonésia, o que mostra também que o trabalho infantil fora da agricultura, e particularmente o trabalho infantil nos serviços, está ganhando terreno em termos de importância relativa", diz o documento.

Temas deste texto: