Unicef pede pelos órfãos do ebola

Veículo: A notícia foi publicada nos principais jornais do País - BR
Compartilhe

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou nesta terça-feira (30) sobre o desamparo a que estão relegados os órfãos do ebola. "Pelo menos 3,7 mil crianças na Guiné, na Libéria e em Serra Leoa, perderam um dos pais ou ambos desde que a epidemia teve início", diz um comunicado divulgado pelo diretor regional do Unicef na África Ocidental, Manuel Fontaire. Com base nos estudos sobre a evolução da doença, Fontaire afirmou que esse número "pode dobrar até meados de outubro", e lançou um apelo: "Essas crianças precisam urgentemente de atenção e apoio, sobretudo porque muitas se sentem indesejadas, para não dizer abandonadas". De volta de uma missão de duas semanas pelos três países, os mais afetados pela epidemia, o diretor regional do Unicef constatou que o medo do contágio "está transformando em sentença de morte uma reação humana fundamental, como confortar uma criança doente".

Temas deste texto: