Vaticano divulga medidas aplicadas contra abuso sexual

Veículo: A notícia foi publicada nos principais jornais do País - BR
Compartilhe

O Vaticano divulgou na terça-feira (6), pela primeira vez, estatísticas abrangentes sobre como disciplinou padres acusados de estuprar e molestar crianças, afirmando que 848 padres foram destituídos e outros 2.572 receberam sanções menores ao longo da última década. O embaixador do Vaticano nas Nações Unidas em Genebra, arcebispo Silvano Tomasi, revelou os números durante o segundo dia de questionamentos por uma comissão da Organização das Nações Unidas (ONU) que monitora a implementação de um tratado contra tortura. Tomasi insistiu que a convenção se aplica somente dentro da Cidade do Vaticano. No entanto, ele divulgou estatísticas sobre como a Santa Sé tem julgado casos de abuso sexual em nível mundial e, de forma significativa, não contestou a alegação da comissão de que a violência sexual contra crianças pode ser considerada tortura. O arcebispo afirmou que, desde 2004, mais de 3,4 mil casos críveis de abusos tinham sido encaminhados para o Vaticano. Ele reconheceu o elevado número de sacerdotes punidos com pena menor que são idosos ou enfermos.

Temas deste texto: