Xarope e antigripal não têm eficácia em crianças, diz estudo

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

Xaropes e remédios para resfriados não são tão eficazes como se acredita. Uma revisão de estudos da Colaboração Cochrane (organização internacional que elabora revisões da literatura médica) mostrou que as terapias mais comuns para tosse aguda e resfriado não têm evidências científicas. Pesquisadores analisaram 27 estudos com 5.117 adultos e crianças quanto à eficácia de medicamentos para resfriado que combinam antialérgicos, descongestionantes e analgésicos. A conclusão é que o uso dessas drogas tem efeito limitado em adultos e crianças com mais de seis anos, provocando uma melhora de 20% a 30% dos sintomas. Esse pequeno benefício precisa ser colocado na balança com os possíveis efeitos colaterais, como sonolência e dor de cabeça. Para crianças mais novas, porém, não há evidência de efetividade e segurança do uso desses medicamentos. Em relação à melhora da tosse aguda que acompanha o resfriado, outra revisão de 25 ensaios clínicos com xaropes vendidos sem prescrição (18 com adultos e oito com crianças) concluiu que não há evidências de efetividade. Para crianças, o uso de antitussígeno, antialérgico e descongestionante tem efetividade similar a do placebo.

Temas deste texto: