Brincadeiras fazem parte do currículo

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

As brincadeiras ajudam no processo de formação dos pequenos. Por isso, atenção papais e mamães: quanto mais nova for a criança, mais preocupada a escola tem de estar com o tempo destinado simplesmente para brincar. "Pode ser uma atividade simples, como pular amarelinha, montar peças de um jogo ou brincar de roda", explica a psicóloga e professora da PUC-SP Maria Angela Barbato Carneiro. De acordo com a especialista, algumas escolinhas deixam de lado as atividades lúdicas para atender uma demanda dos próprios pais. "Tem quem reclame na escola quando o filho chega em casa sujo de terra", diz. Nas grandes cidades, porém, a escola acaba sendo o único espaço para essas experiências. "Antes, tínhamos o espaço da rua e as brincadeiras aconteciam naturalmente. Agora, a escola passa a ser o local onde acontecem as brincadeiras. Não se vê mais crianças pulando corda na rua", afirma Claudia Lacerda, professora do jardim 1 do colégio Santa Maria, que fica na zona sul de São Paulo.

Temas deste texto: