CE: 70,8% dos óbitos infantis poderiam ser evitados

Veículo: Diário do Nordeste - CE
Compartilhe

O Ceará vem conseguindo reduzir os índices de mortalidade infantil – entre os nascidos vivos durante o primeiro ano de vida. Entre 1997 e 2011, houve queda de 61% da taxa de mortalidade, que passou de 31,6 óbitos a cada mil nascidos vivos em 1997, para 12,3 em 2011. No Brasil, a tendência de diminuição é a mesma. Enquanto em 1997, a média era de 58 mortes para cada mil bebês nascidos vivos, em 2011essa taxa reduziu para 16,1. Chama atenção, entretanto, o expressivo número de óbitos infantis por causas evitáveis. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), dos 1.260 óbitos infantis registrados no ano passado, 892 foram por causas evitáveis (70,8%). Índice superior ao nacional. Os dados apontam que das 29.771 mortes infantis registradas em 2012, 20.366 (68,4%) foram por causas evitáveis. Destes, 58,4% (11.894) notificados em 30 dias.

Temas deste texto: