Cerca de 70% das vítimas de abuso sexual são crianças e adolescentes, aponta Ipea

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Por cerca de dois anos, uma estudante de 16 anos sofreu em silêncio com a violência sexual dentro da própria casa, em Ceilândia Norte, no distrito Federal. Aos 14 anos, a menina sentia medo de denunciar o homem a quem ela chamava de avô. "Ele ameaçava dizendo que ia matar minha mãe, meu pai", lembra. O marido da avó paterna abusou da jovem até setembro do ano passado, quando foi preso. Ela é apenas uma entre milhares de meninas brasileiras que sofrem com uma rotina de abusos sexuais. Cerca de 70% das vítimas desse tipo de agressão são crianças e adolescentes, aponta pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O instituto também mediu a tolerância social dos brasileiros aos casos de violência contra a mulher. A pesquisa chegou a resultados alarmantes. Mais da metade dos entrevistados concordou com a frase "Se as mulheres soubessem se comportar haveria menos abusos sexuais" e, mais grave, acreditam que aquelas que usam roupas sensuais "merecem ser atacadas". As vítimas de abusos sexuais são, na maioria, mulheres com menos de 17 anos. O pesquisador Daniel Cerqueira explica que só foram computados os casos em que as vítimas procuraram o serviço público de saúde. Cerqueira destaca que 11,3% dos abusos sexuais envolvendo crianças foram cometidos pelos próprios pais, justamente quem deveria protegê-las. "É um quadro que revela uma grave doença coletiva, de uma sociedade em estágio pré-civilizatório", diz.

Temas deste texto: