Contos de fadas ajudam no aprendizado de crianças, defende especialista

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Para uma criança, se sentar e ouvir o professor explicar por que um alimento muda de temperatura pode ser muito chato. Mas, quando esse tipo de informação é importante para ajudar Cachinhos Dourados a comer um prato de mingau nem muito quente nem muito frio, a situação muda de figura. Aprender, nesse caso, deixa de ser algo aparentemente sem sentido e se torna crucial para ajudar a simpática garotinha que invadiu a cabana de uma família de ursos na floresta. E se a solução pode ser buscada em parceria com os coleguinhas, a partir de uma série de brincadeiras que inclui até mesmo preparar um prato de mingau com areia e construir um forno de micro-ondas, a escola se transforma numa grande – e instrutiva – aventura. A descrição não é nada absurda. Ela resume um dos projetos de pesquisa da especialista em educação infantil Marilyn Fleer, professora do Departamento de Educação da Universidade Monash, na Austrália. Depois de visitar inúmeras escolas, observar professores em salas de aula e registrar, em muitas horas de vídeo, a reação de alunos, Fleer tornou-se convencida de que a brincadeira e a liberdade criativa são as melhores ferramentas do ensino.

Temas deste texto: