Crescimento chinês deixa 61 milhões de crianças longe dos pais

Veículo: Valor Econômico - BR
Compartilhe

Como milhões de crianças na zona rural da China, Yang Hailian, de 10 anos, mal pode esperar pelo momento em que seus pais voltarão de seus empregos numa cidade distante para passar em casa o feriado do Ano-Novo Lunar, que neste ano começa no próximo dia 31. Fábricas e canteiros de obras fecham e a maioria dos trabalhadores migrantes do país faz uma longa viagem para se reunir com suas famílias. "Eles sempre me trazem roupas novas", diz ela. A China tem cerca de 250 milhões de trabalhadores migrantes, que se deslocam em massa das áreas rurais até as cidades para ajudar a suprir a demanda por mão de obra barata das fabricas do país. Cerca de 61 milhões de crianças chinesas – uma em cada cinco do país mais populoso do mundo – não veem um ou ambos os pais há pelo menos três meses, segundo a Federação das Mulheres de Toda a China, um grupo de defesa dos direitos da mulher ligado ao Partido Comunista. Essas crianças são conhecidasna China como os filhos deixados para trás. Em nenhum outro lugar do mundo há um número tão grande de crianças vivendo basicamente por conta própria.

Temas deste texto: