DF: Adolescentes cometem 339 crimes em 11 meses

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Trata-se de uma realidade cada vez mais preocupante no Distrito Federal. Pelas mãos de adolescentes, 339 pessoas perderam a vida nos primeiros 11 meses de 2012, número 64% maior do que o registrado no ano passado inteiro. As estatísticas são da Promotoria de Defesa da Infância e Juventude do DF. Do total de mortes este ano, 308 foram cadastradas como homicídios, contra 180 em 2011, alta de 71%. Também chama a atenção o fato de meninos não pouparem suas vítimas ao promover roubos. De janeiro a novembro, os adolescentes infratores cometeram 36 latrocínios (roubo com morte), um incremento de 19% em relação a 2011, quando as delegacias brasilienses computaram 26 delitos dessa natureza.

Sedução – Para o promotor de Infância e Juventude Renato Barão Varalda, problemas como o fácil acesso a armas de fogo e às drogas, somados à evasão escolar, ajudam a entender o problema. "Infelizmente, a escola pública não é atrativa para os meninos e as meninas residentes nas regiões administrativas mais pobres. Eles se evadem e sentem-se seduzidos pelo que a rua lhes oferece", analisou. O promotor ainda lamenta a falta de investimentos na aplicação de medidas socioeducativas em meio aberto, segundo ele, as mais eficazes no processo de ressocialização do adolescente infrator. "A liberdade assistida inexiste em Brasília em razão da falta de estrutura física e de pessoal", criticou.

Temas deste texto: