DF: Conflitos com a lei começam cedo

Veículo: Jornal de Brasília - DF
Compartilhe

Os adolescentes que colocaram as autoridades de segurança em alerta após matarem três colegas em um espaço de 20 dias na Unidade de Internação do Plano Piloto, antigo Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje), em Brasília (DF), têm um perfil conhecido. Em geral, o envolvimento em atos ilícitos começa cedo, com uso de drogas e roubos. A maioria dos adolescentes infratores é do sexo masculino e não possui a figura paterna dentro dos lares, além de ter abandonado a escola ainda no ensino fundamental. Os dados são do relatório Perfil dos Adolescentes-Infratores e dos Atos Infracionais feito pela Promotoria de Justiça da Infância e Juventude do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

Dados – A pesquisa revela que 56% dos adolescentes em conflito com a lei são evadidos da escola e, entre eles, os atos infracionais mais frequentes são o roubo, com 22,2%, seguido do tráfico de drogas (15,9%), furto (10,9%), e porte de arma de fogo (8,5%).

Temas deste texto: