Editora usa gibi literário para atrair leitor jovem

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

Quando os alunos de uma escola no Brooklyn leram "Theseus and the Minotaur", o mito grego recontado pelo cartunista francês Yvan Pommaux, gostaram da história de imediato, segundo seu professor, Daniel Tandarich. E por que não? O livro, o primeiro gibi da Toon Graphics, é repleto de assassinatos tenebrosamente criativos, proezas de força sobre-humana, deuses malcomportados e feras sedentas de sangue. De acordo com Tandarich, uma cena em que um touro enfurecido escorna um jovem cretense foi favorita especial dos alunos. Mas o que "Theseus and the Minotaur" tem de melhor, pelo menos para esse público, é o fato de ser um gibi. "Não é preciso explicar a uma criança como ler um gibi", disse Françoise Mouly, fundadora da Toon Graphics. As crianças, segundo ela, "prestam atenção aos detalhes e estão acostumadas a processar informações para extrair o significado delas. É assim que elas encontram sentido no mundo. E os gibis são bons diagramas de como extrair significado da palavra impressa", diz. A Toon Graphics é um selo da editora independente Raw Junior, fundada por Mouly em 1998.

Temas deste texto: