Em quatro anos, matrículas no ensino integral crescem 46%

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

É meio-dia em uma escola no Morumbi, na zona oeste de São Paulo (SP). Enquanto um grupo de alunos se apressa para voltar para casa, outro também guarda o material, mas não passa do portão. São estudantes do ensino integral, modelo cujas matrículas cresceram 46% no ensino fundamental das unidades particulares do país nos últimos quatro anos. O total passou de 63,1 mil, em 2010, para 92,6 mil, em 2013, segundo o Censo Escolar – na rede pública, as matrículas no ensino integral no período cresceram 150% (de 1,2 milhão para três milhões). A jornada estendida (sete horas ou mais) abarca hoje 2% e 12% dos alunos das escolas privadas e públicas, respectivamente. Associações de escolas particulares de 12 estados ouvidas pela Folha garantem que houve um novo avanço, de até 30%, em 2014. Entre as razões do aumento, representantes das escolas e responsáveis pelos alunos citam pais que trabalham o dia todo, trânsito intenso, falta de segurança e, mais recentemente, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos empregados domésticos.

Temas deste texto: