Ensinamos com qualidade da Finlândia

Veículo: Revista Istoé - BR
Compartilhe

Neste ano, o Brasil conseguiu cumprir uma das metas mais ambiciosas determinadas na reforma do ensino básico: dar educação de qualidade a todos os alunos, independentemente de sua origem socioeconômica. Os indicadores divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) na semana passada mostram que o desempenho dos alunos nas cidades mais pobres do País se igualaram ao das cidades mais ricas. O relatório mostra também que a maioria das redes municipais e estaduais de ensino oferece educação de qualidade com equidade. Quase 95% das redes deram ensino adequado a suas escolas, não importando se elas estão em bairros pobres ou ricos. Os resultados são da avaliação anual que o governo brasileiro faz do ensino básico. São aplicadas provas de português, matemática e ciências para os alunos do 3º, 5º e 9º anos, além do 3º ano do ensino médio. A divulgação dos números nacionais aconteceu algumas semanas depois dos resultados do Pisa, a avaliação internacional feita pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que mede os conhecimentos, nas mesmas áreas, de alunos de 15 anos de mais de 60 países.

 

[Revista Época (SP),  – 24/05/2014]

Temas deste texto: