Exame para detectar o mal de Chagas ainda não está incluído no SUS

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Exames durante a gravidez têm sido uma das principais formas de descobrir o mal de Chagas por mulheres jovens. Entretanto, na maior parte do Brasil, as grávidas ainda não se submetem aos testes precocemente. Somente no estado de Goiás, que adotou há oito anos o chamado teste da mamãe, 2,2 mil mulheres receberam o diagnóstico da doença. O estado pioneiro foi Mato Grosso do Sul. O teste existe também em Alagoas e no Rio Grande do Sul, com subsídio do Sistema Único da Saúde (SUS), mas não é preconizado pelo Ministério da Saúde. No pré-natal, o SUS custeia espontaneamente exames para HIV e sífilis, mas a falta do teste de Chagas acarreta mais um risco para a mãe e o bebê. A possibilidade de gestantes transmitirem o Trypanosoma cruzi pela placenta é de 0,5% a 3%. Segundo o Ministério da Saúde, a iniciativa para detectar a doença durante o pré-natal deve partir da gestante. 

Temas deste texto: