Fetos menores do que o esperado podem ser adultos com doença no coração

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Os três meses iniciais da gestação são uma fase reveladora de como será a saúde cardiovascular de um adulto. A relação foi constatada em um estudo feito por um grupo de pesquisadores da Erasmus University Medical Center, na Holanda, e divulgado pelo British Medical Journal. Ao analisar 1.184 crianças, os cientistas concluíram que aquelas que tinham, ainda na barriga da mãe, um tamanho menor do que o esperado para o primeiro trimestre da gravidez eram mais propícias a sofrerem de problemas como infarto e derrames quando envelhecessem. Chamado de fase embrionária, o período é de rápido desenvolvimento, quando o coração e outros órgãos importantes começam a se formar. Mulheres com até três meses de gravidez participaram do estudo e os filhos delas voltaram a ser analisados aos 6 anos, quando foram avaliados fatores de risco cardiovascular, incluindo o índice de massa corporal, a distribuição da gordura corporal, a pressão arterial, os níveis de colesterol e a concentrações de insulina. Características das mães, como etnia, educação, tabagismo, índice de massa corporal e pressão arterial, também foram consideradas.

Temas deste texto: