Malala recebe Nobel e afirma querer ser premiê um dia

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

A paquistanesa Malala Yousafzai, que recebeu o prêmio Nobel da Paz junto com o indiano Kailash Satyarthi nesta quarta (10), disse que gostaria de ser primeira-ministra de seu país um dia. "Se posso servir ao meu país da melhor forma por meio da política virando primeira-ministra, definitivamente escolheria isso", disse à BBC, acrescentando que seu sonho é que o Paquistão "se torne um país desenvolvido, onde todos os meninos e meninas recebam educação", afirmou. Aos 17 anos, Malala tornou-se a mais jovem ganhadora do prêmio, anunciado em 10 de outubro. Ela foi premiada por sua campanha pela educação das mulheres desde que levou um tiro na cabeça num ônibus escolar em 2012. Grupos radicais no Paquistão, entretanto, a acusam de ser influenciada pelo Ocidente e de violar princípios conservadores do islã. O uniforme escolar que ela usava no dia do atentado ficará exposto no centro Nobel, em Oslo, durante esta semana. Malala dividiu o prêmio com Kailash Satyarthi, indiano que ajudou a salvar mais de 80 mil crianças de trabalho forçado. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), ainda há 168 milhões de crianças trabalhando no mundo. O prêmio de 2014 pode ajudar o Comitê Norueguês do Nobel a recuperar sua reputação após escolhas controversas, como a da União Europeia e do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Temas deste texto: