MG: Em escola líder de Belo Horizonte, bons alunos ajudam quem vai mal

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

Na escola estadual Pedro 2º, líder de Belo Horizonte (MG) no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), os alunos bem avaliados são incentivados a ajudar os colegas da própria sala, e todos ganham pontos com isso. A colaboração virou uma marca da escola, localizada na região central de Belo Horizonte. O colégio é um dos primeiros colocados de Minas na Prova Brasil, que avalia alunos em português e em matemática. Os adolescentes fazem a sua parte. Alunos do ensino médio bem avaliados recebem uma bolsa mensal de R$ 100, financiada por duas empresas privadas, para atuarem como monitores das crianças do fundamental. As atividades na escola são em tempo integral. Os alunos são avaliados a cada 15 dias, e aqueles em risco de repetir recebem aulas de reforço. O engajamento dos professores ajuda a explicar o bom desempenho das escolas de Minas Gerais, afirma o professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Luciano Faria Filho. O piso salarial no estado é de R$ 1.455 para 24 horas semanais. O piso nacional dos professores para 40 horas semanais é de R$ 1.697.

Temas deste texto: