Mortalidade materna cai menos no Brasil

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Um estímulo para as mamães. Segundo relatório divulgado nesta terça-feira (6) pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de 1990 a 2013, a mortalidade materna diminuiu 45% globalmente. Se 523 mil mulheres morreram em 1990 devido a complicações no parto e na gestação, o número despencou, em 2013, para 289 mil. No entanto, ainda é alto. São 33 mortes maternas a cada hora, aproximadamente 800 por dia. O Brasil acompanha o ritmo, com uma redução de 43%, mas ainda longe da Meta de Desenvolvimento do Milênio (ODM) traçada pela Organização das Nações Unidas (ONU), que busca a diminuição de 75% das taxas. De acordo com a OMS, em 2013, o número de mulheres mortas por complicações na gestação ou no parto no País foi de 69 para cada 100 mil nascidos vivos. A meta da ONU é ambiciosa, mas não impossível. Prova disso são os 11 países que tinham os maiores níveis de mortalidade materna em 1990 e, neste novo relatório, atingiram o objetivo final. São eles: Butão, Camboja, Cabo Verde, Guiné Equatorial, Eritreia, República Democrática de Laos, Maldivas, Nepal, Romênia, Ruanda e Timor-Leste.

Temas deste texto: