PA: Estado é um dos líderes do ranking brasileiro de trabalho infantil

Veículo: Diário do Pará - PA
Compartilhe

“Tem criança que nunca pode ser criança”. Quando se tem em mente que o percentual de crianças e adolescentes de 10 a 17 anos que trabalham no Pará chega a 13,63%, não é difícil compreender a frase destacada pela campanha deste ano do Fórum Paraense pela Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Trabalho do Adolescente. Com o tema do “Trabalho Infantil nos Domicílios”, o conjunto de esforços chama a atenção para a predominância de 19.309 crianças e adolescentes trabalhando nesse setor no estado.Anunciados na manhã de ontem (11) – no lançamento da campanha no Pará – e catalogados a partir dos Censos de 2000 e 2010, os dados preocupam. Somente no Pará, são 180.088 jovens de 10 a 17 anos trabalhando, quantitativo superior aos apresentados por Estados como o Amazonas, que possui 82.572, e de Rondônia, que possui 45.953.

Censos – Quando se avalia o crescimento apresentado entre os anos de 2000 e 2010, anos dos censos analisados, o crescimento do Pará no trabalho infantil foi de 0,27%, enquanto em toda a região Norte o aumento foi de 3,48%. Já no que se refere ao trabalho infantil doméstico, tema da campanha deste ano, os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2011 apontam uma predominância dentre os municípios das zonas urbanas do Estado. No Pará, 9,17% dos jovens de 10 a 17 anos ocupadas trabalham como domésticos, sendo que 76,80% deles estão na zona urbana e apenas 23,20% na área rural.

Temas deste texto: