Pacto pela alfabetização está abandonado, dizem especialistas

Veículo: UOL Notícias - SP
Compartilhe

O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic) não está recebendo a devida atenção, segundo especialistas ouvidos pelo UOL. Com base no Pnaic, as crianças deveriam estar alfabetizadas aos oito anos, ao final do 3º ano do ensino fundamental. Para eles, o abandono do Pnaic é mais preocupante que o cancelamento da ANA (Avaliação Nacional da Alfabetização) por parte do governo federal. "A ANA avalia o Pnaic, mas ele não precisa dela para acontecer", analisa Daniel Cara, coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e blogueiro do UOL. "Ele [o Pnaic] está parado porque o MEC está desarticulado. Em parte, é reflexo do próprio governo." Pilar Lacerda, diretora da Fundação SM e ex-secretária de Educação Básica do MEC, também acha que o programa precisa de mais ênfase por parte do governo. "A Provinha Brasil faz bem o papel de provocar a reflexão do professor  sobre seu trabalho". Por isso, o cancelamento da ANA não traz tanto prejuízo. "Eu me preocupo mais com o esfriamento do Pnaic." Segundo Lacerda, não houve continuidade dos esforços e faltou "mais empenho do MEC e das prefeituras". Cara observa que o cancelamento da ANA pode ser uma boa oportunidade de repensar a avaliação: "Ela tem inúmeros problemas. Deveria ser amostral e ser melhor discutida com as redes para fazer sentido pedagógico". Além disso, argumenta, "falta um calendário de divulgação de resultados. Eles devem ser distribuídos para a sociedade". Segundo o MEC, em 2013 participaram do Pnaic 5.420 municípios, 27 estados e o Distrito Federal; em 2014, houve a adesão de mais 77 municípios,  o que gerou um total de 313 mil professoras alfabetizadoras e mais de 15 mil orientadores de estudo participantes. Ainda de acordo com a pasta, o nvestimento total nos anos de 2013 e 2014 chega a R$ 1,7 bilhão. 

Temas deste texto: