PE: Cinema se projeta para a sala de aula

Veículo: Jornal do Commercio - PE
Compartilhe

O cinema brasileiro terá espaço reservado nas salas de aula do País. Quem garante isso é o artigo 8º, sancionado no final de junho e incluído na lei 13.006, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Embora obrigatória, a exibição caminha a passos contados ao que depender das gestões públicas municipais e estaduais, que ainda precisam se adequar à nova demanda. Para a cadeia produtiva audiovisual, a nova regra é vista de maneira positiva, já que os filmes produzidos no País devem ganhar, digamos, 190,7 mil novas salas de exibição. Este número representa a quantidade de escolas cadastradas no Ministério da Educação (MEC), das quais mais de 48 mil unidades de ensino não possuem aparelhos de DVD, enquanto pelo menos 43 mil escolas não contam sequer com uma televisão. Cada estado e município pode optar por uma regulamentação própria, no âmbito de sua autonomia. Cabe destacar ainda que o MEC não é responsável pelo cumprimento da lei. No âmbito estadual, em Pernambuco, é possível observar um tímido, porém significativo avanço do binômio cinema-educação. Esse painel sustenta-se, particularmente, graças às iniciativas da sociedade civil, em especial de produtores culturais e de cinema que propuseram, nos últimos anos, parcerias com a Secretaria de Educação do Estado.

Temas deste texto: