PE: Escola integral, mas pela metade

Veículo: Jornal do Commercio - PE
Compartilhe

As cinco novas escolas de educação integral implantadas pela Prefeitura do Recife (PE) nste ano não estão funcionando como deveriam. A proposta de que os alunos fiquem nas unidades de ensino os dois turnos, de manhã e à tarde, não é realidade há um mês. Desde o final de março, os estudantes largam ao meio-dia, quando o correto seria saírem às 16h20. Indignados com as condições de trabalho, os professores decidiram, conjuntamente, suspender as atividades vespertinas. Garantem que só voltam a ministrar as disciplinas da tarde quando as unidades de ensino estiverem adequadas para receber os alunos. Estão nessa situação as escolas Nadir Colaço (na Macaxeira), Pedro Augusto (na Boa Vista), Antônio Heráclio do Rêgo (em Água Fria), Divino Espírito Santo (na Caxangá) e Dom Bosco (em Jardim São Paulo). Nelas estudam 1.806 crianças e adolescentes nas séries finais do ensino fundamental (do 6º ao 9º ano). Na tarde desta quinta-feira (24),o Sindicato dos Professores da Rede Oficial de Ensino do Recife (Simpere) denunciou o problema no Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Temas deste texto: