PE: Nova pedagogia para o adolescente

Veículo: Diário de Pernambuco - PE
Compartilhe

Implantar um atendimento individualizado, que se preocupe com as necessidades específicas do adolescente, e reduzir a política de internação podem mudar a realidade de sucateamento das unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Pernambuco. A sugestão é da procuradora paulistana e presidente há oito anos da Fundação Casa de São Paulo, Berenice Maria Giannella. A instituição é uma das maiores no atendimento de crianças e adolescentes em conflito com a lei, tendo o trabalho reconhecido por órgãos como o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Realidade muito diferente de anos atrás. Em junho de 2005, a casa, que tinha o nome de Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem), era palco de rebeliões sangrentas, além de alvo de denúncias de maus-tratos aos adolescentes, tortura e superlotação. Na época, a média era de quase seis motins por mês. Escalada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, Berenice Giannella encabeçou um processo de mudanças, como o aumento de 98 para 148 novas unidades, implantação de novo modelo pedagógico e a criação de uma escola de capacitação de servidores.

Temas deste texto: