Pesquisa mostra relação entre álcool e bullying

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Estudo da Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos, descobriu uma característica comum entre adolescentes que promovem bullying e suas vítimas: o abuso do álcool. A pesquisa analisou a relação entre o hábito de beber e a violência física e/ou psicológica praticada e sofrida por estudantes entre mais de 54 mil alunos de escolas localizadas em Cincinnati e em outras regiões de Ohaio, do Kentucky e de Indiana. Os resultados indicaram que mais de 38% dos jovens do sétimo ao 12º ano (equivalentes ao fim do ensino fundamental e ao médio, no Brasil) estavam, no momento do estudo, envolvidos com bullying – seja como vítima ou agressor. Com base em questionários, os pesquisadores descobriram que a violência nas escolas estava associada ao uso recente de álcool por parte de meninos e meninas.

Riscos – Keith King e Rebecca Vidourek, professores de Promoção da Saúde da Universidade de Cincinnati, destacaram que os estudantes do ensino médio sofriam 1,5 mais risco de abusar de bebidas depois de sofrer bullying. As principais vítimas nas escolas investigadas pertenciam a esse nível educacional, eram do sexo masculino e não brancos. Contudo, alunos que não se enquadram nesse padrão também são perturbados pelos colegas com frequência e bebem em excesso.

 

Temas deste texto: