Plano do governo para diminuir cesarianas

Veículo: A notícia foi publicada nos principais jornais do País - BR
Compartilhe

A Agência Nacional de Saúde Suplementar anunciou que vai colocar em consulta pública, a partir de hoje duas resoluções com objetivo de reduzir cesarianas desnecessárias entre usuárias de plano de saúde no Brasil. Uma das medidas permitirá que as mulheres grávidas ou que estão planejando engravidar recebam dos planos as estatísticas de cada médico obstetra, com o número de partos normais e de cesáreas realizadas. Também passará a ser obrigatório o preenchimento do partograma, um documento em que são colocadas hora a hora as informações sobre o avanço do trabalho de parto. “Sabemos da dificuldade que muitas mulheres têm de encontrar profissionais que façam o parto normal. Essas medidas pretendem dar mais informações às mulheres”, afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro. A proposta recebe sugestões entre 24 de outubro e 23 de novembro antes de virar norma. A ANS colocará em consulta pública duas resoluções para tentar reduzir o número de cesarianas nos planos de saúde. O público poderá opinar sobre ampliação do acesso à informação para as mulheres, que podem solicitar as taxas de cesáreas e de partos normais por estabelecimento e por médico, e a obrigatoriedade do partograma registro da evolução do parto, com informações sobre dilatação, contrações e desenvolvimento das condições maternas e fetais.As medidas devem entrar em vigor em dezembro.

Temas deste texto: