PR: Prefeitura de Curitiba muda estratégia contra as drogas

Veículo: Gazeta do Povo - PR
Compartilhe

Com menos dinheiro em 2014, a Prefeitura de Curitiba quer avançar no combate e tratamento do uso de drogas. A Secretaria Municipal da Defesa Social pretende lançar, a partir de março, um conjunto de ações para ampliar a rede de atendimento nas comunidades terapêuticas, executar o programa Mães contra o Crack e ofertar serviços básicos de saúde e cultura para as pessoas em condição mais vulnerável, em unidades móveis. Para 2014, o orçamento municipal prevê R$ 3,8 milhões para a política antidrogas. Segundo o diretor do departamento de política sobre drogas da prefeitura, Diogo Busse, a política contra as drogas também sofreu modificações. Anteriormente, tinha um caráter mais repressivo, e agora o foco é humanitário. Estudantes do 9º ano do ensino fundamental de Curitiba estão entre os que mais consumiram drogas ilícitas alguma vez na vida. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense), divulgada pelo IBGE no ano passado, 14,4% dos alunos da cidade já experimentaram drogas como maconha, cocaína, crack, cola, loló, lança perfume e ecstasy. O porcentual é o segundo maior do Brasil, atrás apenas de Florianópolis (17,5%). Na média das capitais, o valor é de 9,9%. A pesquisa foi amostral, com 2,1 mil estudantes em Curitiba e 109,1 mil em todo o Brasil. Para reverter essa situação, a Prefeitura investe em ações de prevenção nas escolas, especialmente na rede pública.

Temas deste texto: