Professor em extinção: conheça quatro docentes que resistem às dificuldades

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Professores comprometidos, exigentes, que respeitam o aluno e dominam o conteúdo que ministram. Essas são características esperadas de qualquer profissional responsável pela formação de estudantes universitários, mas são raras. A falta de valorização e de reconhecimento desestimula muitos deles a continuarem na carreira ou de manterem o prazer pela profissão. Em livro lançado na última semana, pesquisadores de instituições de ensino de Brasília definem quem é esse docente e por que é difícil encontrá-lo. “Professores entusiasmados não são professores ‘cesta básica’. E o pior é que nós temos uma razoável convicção de que eles não podem ser formados. O entusiasmo é algo muito profundo, remonta às origens até familiares. São valores, princípios, ética, esse tipo de coisa que não se ensina em cursos”, explica José Florêncio Rodrigues Júnior, professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (FE/UnB) e um dos autores do livro. A publicação O professor universitário entusiasmado — Seis estudos sobre uma espécie em extinção é fruto de 11 anos de pesquisa de um grupo que reúne sete especialistas. O estudo incluiu a aplicação de mais de 450 questionários entre estudantes concluintes de cursos.

Temas deste texto: