Reajuste de escolas deve pesar no bolso

Veículo: Diário do Nordeste - CE
Compartilhe

As escolas particulares de todo o País têm fixado e divulgado o reajuste da mensalidade para 2015. Os aumentos têm assustado alunos, pais e responsáveis. No Ceará, os reajustes tendem a ficar em até 15%; em São Paulo, até 12%; e, em Minas Gerais, podem chegar a 16%. Em todos os estados, os porcentuais estão acima da inflação dos 12 meses anteriores a setembro, de 6,51%, acumulada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os colégios têm liberdade para definir os reajustes, embora sigam também a orientação dos sindicatos de cada estado. O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (Sieesp) sugere que as escolas repassem no reajuste as despesas com salário, manutenção, aluguel de prédio, se for o caso, investimentos em novas tecnologias e até a inadimplência. Aos pais e alunos, caberá avaliar se o novo valor caberá no orçamento. Outro caminho é contestar o índice de reajuste fixado para a mensalidade escolar.

Temas deste texto: