Reforma do ensino médio a passos lentos

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Um semestre depois de o Ministério da Educação (MEC) propor uma reforma no ensino médio para melhorar o mau desempenho dos alunos, denunciado pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), muito pouco foi feito. No início de dezembro, com quase dois meses de atraso, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) apresentou ao ministro, Aloizio Mercadante, um pacote de propostas – algumas de cunho político, como a indicação de 50% das escolas a serem avaliadas. Hoje, o sistema é feito por amostragem. Mercadante garante que o redesenho dos três anos finais do aprendizado básico é prioridade e deve passar pelas reestruturação do currículo, formação dos professores e ampliação do ensino em tempo integral. Especialistas criticam as propostas do Consed e a morosidade do processo.

 

Temas deste texto: