RJ: Bailarinas de pés descalços superam dificuldades pelo amor à dança

Veículo: Extra Online - RJ
Compartilhe

A roupa pode ser a mesma usada em casa. As que podem improvisam uma malha e uma calça legging pretas. A sala de aula não tem barra, espelho nem o assoalho apropriado. É assim, sem recursos mas com muito amor à dança, que um grupo de 50 meninas do Morro do Adeus, no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro (RJ), com idades entre quatro e 15 anos, vão equilibrando sobre as pontas de pés descalços o sonho de virar bailarina. Elas participam do projeto Na ponta dos pés, criado há um ano por Tuanny Nascimento, de 19 anos, ex-bailarina da comunidade que precisou abandonar a dança profissional para trabalhar. Mas concilia o emprego com as aulas do Na ponta dos pés, que são gratuitas e realizadas num espaço improvisado, oferecido pela associação de moradores. O que falta em estrutura sobra em determinação. Para a maioria das alunas, o balé representa a possibilidade de um novo horizonte, fora dos limites da comunidade.

Temas deste texto: