RS: Anos de estudo depois, a nova geração que vem aí

Veículo: Zero Hora - RS
Compartilhe

Com o aumento real da renda das famílias brasileiras nos últimos anos, os jovens têm mais condições de permanecer estudando, antes de ingressarem no mercado de trabalho. Foi o que mostrou nesta quarta-feira (15) reportagem do jornalista Erik Farina, destacando, inclusive, que a situação é um dos motivos de o desemprego permanecer com taxas baixíssimas em Porto Alegre (RS). Em abril do ano passado, durante o Fórum da Liberdade, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, já havia chamado a atenção para esse fenômeno crescente na sociedade brasileira. Com razão, argumentou que a expansão da classe média, o aumento da renda real dos chefes de família, os programas oficiais de financiamento educacional e a maior oferta de vagas em cursos superiores, todos esses fatores combinados, permitiram que os jovens permanecessem mais tempo estudando, aumentando a escolaridade, em vez de ingressarem mais cedo no mercado de trabalho em piores condições para competir por um emprego.

Temas deste texto: