Senadores querem vetar palmada em criança

Veículo: DCI OnLine - SP
Compartilhe

Senadores se mobilizaram nesta quinta-feira (5) para levar à presidente Dilma Rousseff proposta no sentido de se vetar um trecho do polêmico projeto da "Lei da Palmada": a própria proibição à palmada. Foi discutida inclusive a mudança do nome da proposição para "Lei Menino Bernardo", em referência ao garoto Bernardo Bodrini, de 11 anos, assassinado no Rio Grande do Sul. A votação no plenário do Senado, na noite de quarta-feira (4), só saiu após um acordo entre a ministra dos Direitos Humanos, Ideli Salvatti, e os líderes partidários e do governo, Eduardo Braga (PMDB/AM). Pelo acordo, o texto foi redigido de forma a permitir que, se possível, Dilma vete a expressão "sofrimento físico" do conceito de castigo físico que o projeto quer proibir, com o apoio da apresentadora Xuxa. Senadores defendem que o veto permitiria que os pais dessem uma palmada ou um puxão de orelha na criança, embora permaneça a criminalização de espancamento. Outro desejo dos líderes é que Dilma também vete a parte que define a conduta que "humilhe" a criança como um tipo de "tratamento cruel".

Temas deste texto: