Setembro Dourado alerta pais e médicos para o câncer em crianças

Veículo: Correio 24 Horas - BA
Compartilhe

A luz amarela que este mês está iluminando pontos da cidade como o Hospital Santa Izabel, em Nazaré, tem um objetivo claro: chamar atenção para o fato de que o câncer também atinge crianças e adolescentes. Além disso, a campanha Setembro Dourado destaca que a rapidez no diagnóstico é a diferença entre a vida e a morte. De acordo com o presidente da Confederação Nacional das Instituições de Apoio e  Assistência a Crianças e Adolescentes com Câncer (Coniacc) – entidade que reúne todas as instituições e familiares que lutam contra o câncer infantil no Brasil, Rilder Campos, o país registra hoje 11 mil casos de câncer infantojuvenil. “Esses casos podem alcançar até 90% de cura se o diagnóstico e tratamento forem feitos precocemente”, esclarece Campos, pontuando que o câncer é violento e democrático, por isso mesmo alcança todas as classes sociais. O representante do Coniacc diz que a campanha – que foi deslocada do mês de novembro para setembro para ganhar mais ênfase e não criar confusão com o Novembro Azul – também busca chamar atenção da sociedade e dos poderes públicos para o fato de que no Brasil falta especialista na maioria das cidades, dificultando a  identificação da doença. “Geralmente suspeita-se de uma série de doenças como o as verminoses, anemias, calazar até se chegar a um diagnóstico confiável”, diz Campos. Com uma postura parecida, a diretora de Assistência ao Paciente do Grupo de Apoio à Criança com Câncer (Gaacc- Bahia), a pediatra especializada em oncologia Flávia Nogueira, lembra que o câncer pediátrico é bem diferente do câncer adulto, pois sua evolução é muito rápida e o tempo é fator fundamental para o tratamento. “Geralmente, o câncer na criança e adolescente não está associado aos fatores de risco e sim aos componentes genéticos”, esclarece a médica, lembrando que o câncer mais comum em crianças é a leucemia e o tumor mais frequente é o cerebral, com prevalência parecida e em torno de 30% em ambas as situações. As células geralmente afetadas nessa faixa etária são as do sistema sanguíneo, assim como tecidos de sustentação, enquanto que o de adultos o câncer afeta preferencialmente células do epitélio (tecido que recobre os diferentes órgãos: câncer de mama, câncer de pulmão, por exemplo). Ela destaca que o Setembro Dourado também está voltado para os profissionais de saúde que precisam estar mais atentos  aos sinais comuns, a exemplo da febre sem causa aparente, manchas no olho (olho de gato) e corpo, vômito, diarreia por tempo prolongado, além de quedas frequentes ou dificuldades para a marcha. “A sensibilização do profissional é fundamental para que esses sinais não sejam negligenciados”, completa. 

 

Temas deste texto: