Sob Dilma, infraestrutura perde e educação expande

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

Em contraste com sua imagem pública de gestora de obras, a presidente Dilma Rousseff deixou a infraestrutura minguar em sua primeira metade de mandato. Uma análise do desempenho dos principais programas do governo mostra que as reais prioridades da atual administração são outras: educação e assistência social. Dilma promoveu uma expansão 25% acima da inflação nas despesas com ensino básico, profissionalizante e superior.Quase no mesmo ritmo subiram as transferências de renda, puxadas pela maior ampliação do Bolsa Família desde o final do primeiro governo Lula. Um sinal do impulso à educação é que, sob Dilma, o Ministério da Educação elevou seu quadro de pessoal em 21 mil professores e outros servidores – totalizando 236 mil. No restante da Esplanada, o contingente caiu de 353 mil para 341 mil.

 

Temas deste texto: