SP: “Apenas aprovar 10% do PIB para educação tem pouco significado”

Veículo: Brasil Econômico - BR
Compartilhe

Em entrevista, César Callegari, novo secretário municipal de Educação de São Paulo (SP), diz que o novo índice não cria obrigações para entes federativos e que o foco em São Paulo é a educação básica. “A prioridade é atacar o déficit muito grande na educação infantil em relação às creches. A demanda na cidade é de 150 mil novas vagas e isso terá prioridade total na nova administração”. Com relação ao investimento de 10% do PIB (Produto Interno Bruto) no setor, Callegari diz que tudo vai depender de como esse percentual vai se traduzir em recursos. “Apenas aprovar 10% do PIB tem pouco significado. Só isso não cria obrigações para gestores e entes federativos. Se fosse 10% a mais do ICMS, do IPTU, isso teria impacto. Já o PIB não transita no sistema das contas públicas”, explica.

Temas deste texto: