SP: Crise afeta teatro, museus e até atividades a crianças

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

Um dos reflexos da "seca" da cultura já começou a ser percebido neste ano, com a suspensão do Festival de Teatro de Ribeirão Preto (SP). O evento, realizado há quatro anos, movimenta grupos teatrais de todo o país e abre espaço e incentivo para os artistas se apresentarem. Cada grupo selecionado receberia R$ 4,5 mil de incentivo. O festival foi cancelado quando a Secretaria da Cultura já havia recebido 30 inscrições de interessados. Para o diretor do grupo de teatro Trupe Acima do Bem e do Mal, Mateus Barbassa, o cancelamento do festival foi um "retrocesso absurdo". Segundo ele, o evento foi uma conquista da classe artística de Ribeirão e se tornou referência nacional. A ameaça ao evento foi constatada pelos atores quando a secretaria informou que as peças seriam avaliadas por três jurados por meio de vídeos, economizando assim as despesas com a hospedagem em Ribeirão. "Depois, simplesmente não foi falado mais nada. É uma falta de respeito com os artistas", disse Barbassa. A crise financeira também deixou de lado os museus da cidade. Daniel Basso, diretor dos museus Histórico e do Café, afirmou que tenta buscar apoio na iniciativa privada para manter o local.

Temas deste texto: