SP: Lição de desrespeito

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

A vítima tem 13 anos. Os agressores, 14. Todos são alunos de uma tradicional escola particular paulistana. No último mês, são o centro de um enredo que põe à prova o papel de pais, educadores e da própria instituição, reiniciando o debate sobre violência sexual entre adolescentes. A garota diz ter sido assediada sexualmente por três meninos. A instituição suspendeu os meninos por sete dias e sentiu a obrigação de debater o fato. Situações como essa são violência sexual, segundo a psicóloga Renata Coimbra Libório, pesquisadora da Unesp. Casos de adolescentes que passam dos limites são frequentes e não acontecem só na escola, lembra a psicóloga Rosely Sayão. "Há estímulos o tempo todo, na TV e na música", diz Neide Saisi, psicopedagoga e professora da PUC-SP. Muitos desses estímulos não são positivos, segundo Antonio Carlos Egypto, psicólogo especialista em orientação sexual. Basta assistir a um programa de humor ou a peças publicitárias para perceber que "a imagem da mulher-objeto é usada de maneira escancarada", diz.

Temas deste texto: